12 de junho de 2015

Sobre fazer intercâmbio #4: um pré-embarque com a STB

Intercâmbio, Publieditorial

Se tem uma coisa imprescindível antes de embarcar para a tão sonhada viagem de intercâmbio é checar tudo o que está relacionado à documentação, bagagem, transporte, acomodação, escola e, claro, formas de movimentar seu dinheiro no exterior.

Sim, é muita coisa para quem já está, literalmente, com a cabeça em outro mundo, mas essa tarefinha chata – e obrigatória – pode ficar muito divertida quando compartilhada com outras pessoas que estão passando pela mesma experiência que você!

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

Fotos: Carol Oliveira

Foi o que aconteceu na noite de ontem, 11, quando a STB Aracaju realizou a reunião de Pré-embarque do 2° semestre 2015, com cerca de 35 estudantes que viajarão já já para os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Irlanda, Alemanha, França, Austrália e Nova Zelândia. Alguém me leva junto, por favoooooor????
intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

Olhem a carinha de felicidade desses meninos! :)

Como de costume, em todos os pré-embarques da STB Aracaju, cada intercambista pode levar um acompanhante. Acho isso fantástico porque, além do compartilhamento de dúvidas, sugestões e anseios dos estudantes, os pais/responsáveis ficam um pouco mais tranquilos (não adianta, eles nunca ficarão 100%) e podem ter uma ideia mais real de todo o processo.

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar
Fiz meus dois intercâmbios com a agência e posso garantir que esse pré embarque é um dos momentos mais gostosos da viagem (porque siiiiiiiiim você já viaja antes mesmo de entrar no avião!). É nessa hora que a  “ficha cai” e você se dá conta de que vai realizar um grande sonho, sabe?! É algo muito especial mesmo! <3

Logo de início, o gerente de vendas da STB Aracaju, João Dória, deu um breve panorama sobre a empresa, que é referência nacional no que se refere à intercâmbio. Em seguida, falou um pouco sobre os destinos dos intercambistas, da documentação necessária para a entrada em cada um deles e também das vacinas exigidas em alguns destinos.

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

João esclareceu todas as dúvidas dos intercambistas

Passaporte, imigração, aeroportos, transporte, remédios, todo mundo prestando atenção a tudo, claro, mas os olhinhos brilharam mesmo quando o assunto foi… bagagem! Hahahaha impressionante, gente! (#todosqueremcomprar) A própria empresa montou umas malinhas com imagens e descrições dos destinos para serem entregues aos viajantes. Uma fofura só! <3

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

Muito amor por esse brinde do pré-embarque!!!

Para os países de destino do grupo, são permitidas até duas bagagens de 32 kg (cada)  para despacho. Então… Imagine a quantidade de coisas que esses meninos pensam que podem levar e comprar???  Digo “pensam que podem” porque muitos pais já ficaram apreensivos com a euforia dos “64 kg, yaaaaaay!”

Aproveitando o ensejo, foi a vez de falar sobre a compra de moeda estrangeira e as várias possibilidades de levá-la (em espécie, cartão de débito e de crédito). Afinal de contas, para encher as malas é preciso ser bem atento e cauteloso com dinheiro, né?!)

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

Escola e acomodação também foram temas que geraram bastante dúvida, principalmente porque implicam na vivência plena de uma realidade cultural diferente da nossa, né?! Não adianta, gente, viajar para um intercâmbio requer abrir mão de muitos “certos” e “errados” da nossa cultura. O mundo é bem maior que o nosso quarto, a nossa casa ou o nosso país.  O João fez seu primeiro intercâmbio aos 14 anos, então sabe bem como as coisas funcionam e deu um panorama bem bacana sobre os temas.

O seguro saúde foi outro assunto tratado no pré-embarque. Tem que ter!!! E quem viaja pela STB Aracaju não sai do aeroporto sem! Acho muito relevante esse posicionamento da empresa. Saúde está sempre em primeiro lugar e a gente nunca sabe quando vai precisar de um atendimento, né?! Graças a Deus, nunca precisei, mas cheguei bem perto quando torci meu pé no meio do Convent Garden, em Londres…

Tiradas todas as dúvidas, hora de entregar os documentos dos viajantes! Olhem que coisa mais linda esse porta-documentos! E essas tags para as malas??? #queroviajardenovo

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar
Para comemorar, doces e salgados artesanais!!! Delicia, delicia, delícia!!!

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar
intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar

Confesso que, em muitos momentos do pré-embarque de ontem, ouvindo novamente todas as orientações, fiquei com lágrima nos olhos de saudade de tudo o que vivi nos meus dois intercâmbios! Bateu uma vontade enooooorme de viajar de novo, sabe?!

intercambio-preembarqueSTB-deixemecontar
Vamos ver o que o destino me reserva para as próximas férias. Mas deixo claro que planos de um novo embarque com a STB não me faltam! =)

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira
21 de Maio de 2015

Intercâmbio: tudo o que você precisa saber antes de embarcar neste sonho

Intercâmbio, Viagem

intercambio-deixemecontar

Meu sonho de estudar fora do país surgiu ainda na adolescência, quando comecei a sentir necessidade de conhecer lugares e culturas diferentes. No entanto, fazer intercâmbio naquela época era algo completamente fora da minha realidade.

As passagens e os cursos de idiomas eram absurdamente caros, não havia muitas agências especializadas no serviço e pouco se tinha acesso à informação como nos dias atuais. Intercâmbio era o luxo dos luxos e era para poucos

Hoje, esse cenário mudou e fez com que inúmeros estudantes e profissionais brasileiros – inclusive eu! – conseguissem pôr em prática essa experiência tão maravilhosa e indescritível.

Para ajudar quem está sonhando com o primeiro – ou com o próximo – destino, conversei com João Dória, gerente da Student Travel Bureau (STB) em Aracaju, uma das mais renomadas agências de intercâmbio do país, para explicar tudo o que você precisa saber antes de embarcar nesse sonho.

Confira a entrevista abaixo:

Deixe-me contar – O que é um intercâmbio?
João Dória –
Há certo tempo, poderia dizer que era um período de um semestre ou de um ano acadêmico, em outro país. Hoje em dia, pode ser um período de dias, semanas, semestre ou até anos. Tornou-se algo tão personalizado que as pessoas adequam os seus objetivos pessoais, profissionais ou acadêmicos a este período de aprendizado e conhecimento. Atualmente, os programas têm os mais variados propósitos: aprendizado do idioma, exames de proficiências e certificados, lazer, períodos sabáticos, mudanças de carreiras, pós-graduações, colegial no exterior, turismo cultural e assim por diante.

Deixe-me contar – Qualquer pessoa pode ter essa experiência? Existe idade mínima ou máxima para isso?
João Dória –
Sim, qualquer pessoa. Hoje, já trabalhamos com programas para estudantes a partir de 6 anos (em Verbier, na Suíça, por exemplo), até o limite da capacidade física de suportar o tempo da viagem dentro do avião. Temos clientes que viajaram conosco com a idade de 78 anos. O principal pré-requisito é querer participar de um programa de intercâmbio.

Deixe-me contar – É preciso ser fluente no idioma do país de destino para fazer um intercâmbio?
João Dória –
De maneira alguma. Os programas de idioma são feitos justamente para o desenvolvimento das quatro habilidades cognitivas: ler, ouvir, falar e escrever, do nível básico ao avançado. Apenas em programas de certificados ou acadêmicos, a exemplo de mestrados e doutorados, seria exigida a fluência na língua.

Deixe-me contar – Como deve ser feita a escolha do país de destino?
João Dória –
O estudante deve levar em consideração o que o atrai numa outra cidade ou país. Urbana ou descolada, grande ou pequena, fria ou quente, todos os aspectos devem ser considerados e analisados delicadamente. Importante também saber para quais destinos o programa escolhido é ofertado. Deve-se ponderar o que é prioridade na viagem. Existe um apanhado de perguntas pessoais que precisam ser feitas antes da escolha final. Não é como uma camisa, por exemplo, que compramos e, caso não sirva, podemos trocá-la rapidamente. É algo mais definitivo e envolve muitas expectativas, portanto precisa ser analisado com bastante calma.

Deixe-me contar – Qual é o papel da agência de intercâmbio neste processo?
João Dória –
Se tivesse que definir em uma só palavra, seria orientar. Somos responsáveis por “guiar” o estudante desde o processo de escolha do programa até toda a parte operacional. Temos um conceito chamado ‘One Stop Shop’, no qual o estudante resolve tudo que ele precisa conosco, da orientação para tirar o passaporte ao passe de trem para fazer aquela viagem durante o intercâmbio. A escolha da agência deve levar em consideração a segurança e a credibilidade, pois os preços são sempre tabelados e divulgados amplamente no site dos fornecedores.

Deixe-me contar – Como são escolhidas as escolas e as acomodações?
João Dória –
O estudante precisa estar munido de informações que possam ser relevantes na escolha, tais como localização, programas ofertados, horários das aulas, estrutura física, número de alunos, mix de nacionalidade, dentre outros. As acomodações também seguem a mesma linha e é importante que o estudante avalie todas as opções para que ele mesmo possa julgar o que é mais lhe é conveniente e adequado. Não existe melhor ou pior escola ou acomodação, mas sim opções mais adequadas a cada perfil

Deixe-me contar – Qual o melhor período para fazer intercâmbio? E o tempo mínimo para uma aprendizagem real?
João Dória – Não diria que existe um melhor período para viajar, pois o que é ruim para uns pode ser bom para outros. Já tivemos casos de estudantes que não queriam frio de maneira alguma e outros que queriam o lugar mais frio no qual pudessem aprender o idioma. Acredito que o período está relacionado ao que é importante e relevante para o passageiro. Com relação ao período para uma aprendizagem real, vai depender de como está o nível do estudante ao iniciar o programa, mas trocando em miúdos: para cada um mês de aula num intercâmbio, temos o equivalente a seis meses de aula no Brasil. Isso em carga horária, sem mencionar a imersão cultural.

Deixe-me contar – O que representa um intercâmbio para você?
João Dória – Para mim, é um período de descoberta e aprendizado, onde avaliamos o real sentido da vida e nossos valores. Acredito que o intercâmbio é parte fundamental na formação pessoal e profissional do indivíduo. Meu grande sonho é que, algum dia, todos possam ter essa oportunidade, assim teremos um mundo com mais respeito às diferenças. Sem dúvidas, você sempre volta diferente de uma viagem. Por algum tempo, essa era a marca da STB e descreve fielmente esse processo.

E aí, deu vontade de viajar? =)

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira
21 de novembro de 2013

11 dicas valiosas para novos intercambistas

Intercâmbio, Viagem

Essa semana recebi o título de intercambista do mês da STB Aracaju e, dentre as perguntas que me fizeram, estava a seguinte: “Que dicas você daria aos novos intercambistas?”

Bom, foi a primeira vez que viajei ao exterior, então minha experiência está só começando. No entanto, acho que algumas coisas são essenciais tanto na primeira como na vigésima viagem, e esse é o motivo do post de hoje.

A ideia era separar 10 dicas para os novos intercambistas (ou para quem sonha em fazer as malas algum dia), mas não consegui resumir tudo o que queria e acabei dando um extra aqui… hehehe

intercambistas-deixemecontar

Vamos lá:

1 – Faça uma análise sobre seus gostos e aptidões, pois isso vai ajudá-lo muito no direcionamento da escolha para escola/acomodação. Não gosta de dividir quarto/banheiro? Tem alergia a pelo de animais? É extrovertido? Não come carne? Anote tudo (sim, no caderno mesmo!) e informe ao profissional  da agência, pois o intercâmbio perfeito começa dentro de você!;

2 – Leia tudo o que puder sobre a cidade e o país escolhidos. É sempre bom – e educado – mostrar que você teve interesse pela cultura daqueles que vão te receber;

3 – Intensifique os estudos do idioma. Geralmente, as escolas fazem prova escrita e,quanto mais você se dedicar, mais avançada será a sua classe. Para quem não tem fluência no segundo idioma, ao menos aprenda as palavrinhas mágicas: Bom dia, por favor, com licença, obrigada, até logo. Parece bobagem, mas isso faz MUITA diferença;

4 – Não forme grupos apenas com brasileiros. Além de não exercitar o idioma, você perde grandes oportunidades de conhecer outras culturas e descobrir coisas maravilhosas que nem os livros de História contam!;

5 – Culturas diferentes, casas diferentes, relações diferentes. Assim, não ache que a sua nova família tem que dar os mimos que você tem todo santo dia. O seu amado café com leite pode não ter aquele gosto brasileiro,  mas nem por isso é ruim. Se decidiu ir a outro país, aprenda a conviver com as diferenças;

6 – Tenha um bom livro;

7 – Visite parques, ande de bicicleta, patins ou, simplesmente, deite na grama. É impressionante como essa simplicidade revigora a alma e faz você acreditar que o mundo tem muito chão para ser visitado;

8 – Aquele super sapato de salto não é essencial na sua bagagem. Num outro país, tudo o que você vai querer é conforto e praticidade, mesmo sendo a maior “rata de balada”. Troque-o por aquele salto baixinho e tenha uma diversão garantida;

9 – Cuide bem do seu dinheiro e não dê informações sobre a quantidade que possui a colegas. Na empolgação das novas amizades, tem sempre aquele que solta “Trouxe muito dinheiro!”… Cuidado!;

10 – Vá a lugares que nunca imaginou ir, experimente comidas que nunca lhe pareceram tão legais, converse com os motoristas de ônibus, garçons, taxistas, vendedores de lojas… Eles têm muito a ensinar e, na maioria das vezes, proporcionam boas gargalhadas;

11 – Divirta-se! E saiba que, de longe, essa é uma das melhores experiências da sua vida!

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira