27 de Abril de 2015

Sobre compartilhar a vida

Crônicas

compartilhar a vida

Não havia sido a primeira vez que o “você não faz parte da minha vida” me fora dito com tanta sonoridade. Na primeira delas, você me pediu calma e me explicou que não era bem aquilo o que queria dizer. Na segunda, sem qualquer pausa, emendou um “adeus” que ecoa até agora. Posso estar enganada, mas não acredito que alguém diga, duas vezes, algo tão forte se não estiver certo de que seja verdade.

Olhando com certo distanciamento, vejo que os últimos acontecimentos foram apenas brechas para que me dissesse que eu nunca estive aí, na sua vida. E nem poderia estar, pois você foi construindo muros intransponíveis a cada tentativa de aproximação que eu fazia. Ficou irritado, impaciente e até mesmo agressivo com formas mínimas de comunicação. Apontou defeitos em várias das minhas qualidades e até se utilizou de críticas severas para me “dar porrada”. Resumiu: “não gosto do seu jeito de ser”.

A frase poderia ter se limitado a uma ou duas manias sobre as quais você vivia reclamando, mas o “meu jeito de ser” é muito mais que isso. Sou essa pessoa que fala com todo mundo e que, ao mesmo tempo, reserva os assuntos mais importantes para os poucos nos quais confia. Sou tagarela, prolixa, intransigente e absolutamente sincera. Tenho mania de organização, medo de gatos e um ciúme doentio dos meus livros. Roo unhas, ainda envio cartas pelos correios e só tomo bebida alcoólica se for vinho, dos bons!

Gosto da euforia das micaretas e do carnaval de Salvador, mas acredito no amor e, de certa forma, em contos de fada. Sim, também sou romântica, das mais incorrigíveis.

Sou uma adulta com certas infantilidades porque precisei usar boa parte da maturidade na infância. Enfim, sou muito mais coisas das quais você não gosta e, quando não se gosta, não há mesmo razão para deixar o outro fazer parte de algo tão sagrado como a vida.

Por outro lado, permiti que você fizesse parte da minha. Para falar a verdade, quando vi, você já estava nela e, apesar de ter notado vários dos seus defeitos, jamais colocaria para fora alguém com virtudes muito mais dignas de um reconhecimento. Gostei do seu jeito de ser e isso foi o suficiente para deixá-lo ficar.

Na sua parada, aprendi muito. Poderia ter sido só sobre assuntos pontuais, mas foi algo que se sobrepôs ao óbvio. E que, felizmente, a distância não pode levar de volta. Se pudesse, também não devolveria. Esqueci de contar: sou possessiva até com meus conhecimentos adquiridos.

Mas não se preocupe. Eu me desprendo fácil de quem não me quer por perto. Sem mágoas, raiva, tristeza ou ressentimentos. Afinal de contas, cada um tem o direito de escolher com quem quer dividir as partes da vida. E o melhor mesmo é que todas elas sejam compartilhadas com quem se gosta, de verdade.

Adeus,

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira
Escreva seu comentário

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça no comentário? Clique aqui
Comente pelo facebook
6 comentários
  1. inacio loiola

    “Seu jeito de ser” pode ser o motivo pelo qual as pessoas se afastam, mas também pode ser o motivo pelo qual as pessoas se aproximam. A vida é assim. Não podemos agradar a todos. Como diria Nelson Rodrigues: toda unanimidade é burra. Devemos pensar singular mas agir plural, a tentativa deve ser sempre em angariar a maior quantidade de pessoas possíveis, mas será sempre uma tentativa porque elas terão o direito de escolher cada uma de escolher seu próprio caminho que melhor lhe convém. Convém viver cada mal a seu próprio dia, não guardando rancor para resolver no dia seguinte. No dia seguinte, cabe a surpresa de viver um novo dia. E como é novo, com direito a novidades, mais pessoas intransigentes passando por nós. Paciência é o segredo do sucesso. Sucesso amiga. Deixe-me falar… é assim que se começa um BLOG. Ploc! arrasou!. Beijos.

  2. Liana Fernandes

    Olá Jéssica,
    Que texto lindo!
    Profundo na medida certa, sucinto na medida certa!
    Me identifiquei muito!
    Tenho passado por umas semanas difíceis e esse texto descreve exatamente o que eu estou sentindo nesses dias…
    Você escreve com a alma!
    Obrigada!

    • Muito obrigada pelo carinho, Liana! Sempre acreditei que essas coisas difíceis surgem para nos fortalecer, sabe? Ficar triste é normal, mas lá na frente vai aparecer um monte de coisas boas, você vai ver! Um beijo e fique bem :)

  3. Letícia Kirchner

    Jessica suas crônicas me inspiram e me tiram da loucura. Se as palavras me faz entender que todos passam por momentos complicados. Obrigada por ajudar muitos com textos incríveis.. Sou apaixonada pelo jeito com que escreve. Ainda ei de conhecê-la pessoalmente.Sucesso😘

    • Oi, Letícia! Fico muito feliz qie esteja gostando das crônicas e que elas estejam te ajudando de alguma forma. Muito obrigada pelo carinho! Um beijo. 😘