09 de fevereiro de 2017

Promenade Toscanini: minha hospedagem em BH

Brasil, Viagem

Quando decidi viajar para Belo Horizonte, em outubro do ano passado, uma das minhas grandes dúvidas era onde me hospedar. Já contei várias vezes por aqui que considero a escolha da hospedagem algo importantíssimo para já ir entrando no clima do destino.

Ao menos para mim, uma viagem à praia requer uma hospedagem sem grandes ostentações. Já um lugar histórico, uma acomodação que remata ao seu passado. Uma viagem ao campo, algo mais rústico e assim por diante.

Mas e se o lugar for histórico e contemporâneo ao mesmo tempo? Se for calmo, alegre e tiver um povo com a fama de acolhedor e de “come quieto”? hahaha

Então pensei numa hospedagem confortável, bem localizada e próxima a tudo: o Promenade Toscanini.

promenade toscanini (1)

A cama é grande e super confortável #Pracegover : Foto da cama de casall, com lençol e travesseiros brancos, e cabeceira verde. Ao lado esquerdo, cortinas brancas, poltrona marrom e uma luminária de pé.

Foi a primeira vez que me hospedei num hotel da rede e posso dizer que minha experiência foi maravilhosa. Tanto que, após as diárias reservadas, fui conhecer as cidades históricas de Ouro Preto e Mariana e, na volta, fiquei hospedada no Promenade Toscanini novamente.

promenade toscanini (2)

#Pracegover : Foto de parte da cama de casal. Do lado direito, criado-mudo com abajur e um quadro na parede, que está refletido no espelho.

Nas duas ocasiões, fiquei no 12º andar (o hotel já disponibiliza a escolha de andares mais altos na reserva do Booking). Ambos os quartos eram amplos, com cama de casal confortável, poltrona e uma bancada para trabalho (com luminária direcional, o que achei ótimo).

Outra coisa que gostei bastante no quarto do Promenade Toscanini foi o banheiro. Amplo e com um chuveiro bem forte, gente! Algo que parece óbvio, mas é coisa rara de se ver hoje em dia, viu?

promenade toscanini (3)

#Pracegover : Foto do espelho do quarto, onde esta refletida a cama de casal

Não tirei foto do café da manhã (porque só me lembro quando já comi tudo mesmo kkkk), mas era bem variado e gostoso. Nesse quesito, uma curiosidade: não adianta criar expectativas de um banquete de pães de queijo dos mais variados tipos só porque você estará em terras mineiras. O café da manhã deles é igualzinho ao nosso. Com frutas, pães (nem todos de queijo), bolos, frios, sucos etc.

O serviço do restaurante para jantar também é só elogios. Quando cheguei, estava atrasada (novidade!) para o show de Sandy no Minascentro (lugar lindo, pertinho do hotel) e pedi jantar no quarto mesmo. Comida ótima e atendimento muito eficiente, o que se estendeu à equipe de recepção também.

Quando voltar a BH, sem dúvidas, quero me hospedar lá de novo!

Promenade Toscanini

Endereço: Rua Arthuro Toscanini, 61, Savassi
Contatos: 31 3064-2200 | toscanini@promenade.com.br

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira
30 de novembro de 2016

Jericoacoara: roteiros, dicas e custos para chegar ao paraíso

Brasil, Viagem

Quem me acompanha nas redes sociais viu que, em outubro, estive em férias numa das praias mais lindas do Brasil: Jericoacoara, no litoral do Ceará.

jericoacoara-jessica-deixemecontar

(Fotos: Marcilio Costa <3 )

jericoacoara-tatajuba-deixemecontar

Jeri, como é carinhosamente chamada, já estava nos meus desejos de viagem há tempos, mas sempre ouvi dizer que, além de extremamente cansativa (cinco horas de Fortaleza a Jijoca – município onde fica a vila de Jeri – e mais uma hora de pura estrada de terra e muita, muuuuita areia), era absurdamente dispendiosa. Assim, fui deixando para depois…

jericoacoara-duna-deixemecontar

Duna do Pôr do Sol, um dos momentos mais marcantes da viagem

jericoacoara-pedrafurada-deixemecontar

Pedra Furada, um dos pontos turísticos mais emblemáticos de Jericoacoara

No entanto, esse “depois” chegou (pausa para o suspiro nostálgico ♥) e, a pedido de vocês, fiz um relato em vídeo sobre toda a viagem. Com roteiros, dicas e custos para quem quer chegar ao paraíso!

Afinal de contas, quanto custa viajar para Jericoacoara?

Postei mais fotos da viagem lá no Instagram (@blogdeixemecontar).

Quem aí já foi a Jericoacoara? Gostou? Deixe aqui nos comentários a sua experiência! Vou adorar saber :)

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira
20 de outubro de 2016

Cadeado TSA: saiba como recuperar a senha e destravar sua mala

Viagem

Depois de o voo de Belo Horizonte a Salvador ter atrasado e de eu ter segurado um xixi de litros sabe-se lá Deus como, estava certa de que, às nove da noite, nada mais poderia me acontecer. Oxe, ledo engano!

Foi só pegar a mala para descobrir que a senha – correta – do cadeado TSA travou e não abria de jeito algum!

cadeado TSA

Logo de primeira, pensei terem redefinido a senha no aeroporto, já que todas as minhas malas têm a mesma senha e só uma travou. No entanto, li no site da fabricante da mala (no caso, a Samsonite) que é possível uma senha de cadeado TSA travar “do nada”. Entretanto, para a felicidade geral da nação, o desespero tinha solução.

O problema é que, para variar, a solução não estava lá. Euzinha tive que partir para todos os vídeos gringos do YouTube, mas… Deu certo!

Como abrir o seu cadeado TSA

Coloque a mala de um jeito que você consiga visualizar o “corpo” da roldana de cada código. Assim:

cadeado TSA - 2

Vá rodando todos os códigos até encontrar uma “casinha” diferente (mais aberta) em cada um deles. Deixe todas essas casinhas centralizadas.

Em seguida, gire duas casas para a esquerda em cada código e… Pronto!!! Sua mala estará sã e salva para as próximas aventuras! E você, obviamente, aliviado por ter seus pertences de volta sem ter quebrado a mala.

Uma observação importante

No meu caso, o código onde estava a “casinha”coincidiu com o código real da mala acrescido de 2 (em cada número). Por isso, girando os códigos duas vezes para a esquerda, a mala abriu na senha de sempre. Assim, não precisei redefini-la e a mala continuou abrindo normalmente.

Vi que, em alguns modelos de mala, após descobrir a “casinha”, o giro para a esquerda deve ser feito cinco vezes. Dessa forma, se não conseguir do primeiro modo, tente o segundo, ok?

Viajar com emoção sempre traz um aprendizado, né? :)

Jéssica Vieira
Jéssica Vieira